Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ups, I have a home to care

Vendas por catálogos - dar uma volta à crise

 

 

Duvido que haja alguém que não tenha sentido já os efeitos da crise na própria pele. Ou porque apenas um membro do casal trabalha e o outro está desempregado, ou um pai, um tio, um primo que está na mesma condição. As contas, essas não param de chegar.

E é isso que tem levado muita gente a tentar as vendas por catálogos, seja de cosméticos, detergentes, aquelas famosas caixinhas herméticas, e tudo o que possa ser possível vender.

Eu estou desempregada já à 3 anos, portanto sou só mais uma, que já nem conto para estatística de desemprego. Isso fez-me tentar esta possibilidade para poder contribuir com algum dinheiro nas despesas da casa e assim sentir-me mais útil.

Na verdade já experimentei 3 marcas conhecidas de cosméticos por catálogo, e vou dar-vos a minha opinião acerca de cada uma.

Informo que o post não tem nenhum tipo de publicidade, é feito porque sim, porque quero dar o meu testemunho e poder ajudar alguém a decidir-se, no caso de estar a ponderar esta alternativa.

 

 

Antes de mais é importante ponderar se vale mesmo a pena, se o leque de amigos, familiares é suficiente para conseguir algumas vendas a cada catálogo.

A menos que venha a ter um grande grupo de compradoras fiéis, as vendas por catálogo dão apenas para alguns extras, não são opção viável para assegurar o pagamento de todas as contas lá de casa.

 

Como referi eu já fui revendedora de 3 marcas, sendo elas Yves Rocher, Oriflame e Avon.

 

Comecei por vender Yves Rocher. Na minha opinião é das 3 a que tem a melhor gama de produtos naturais e a que apresenta sempre a melhor gama de cosméticos com tema natalício. Contudo, das 3, é a que menos aposta na parte estética das embalagens, e isso torna estes produtos menos cativantes aos olhos de quem não os conhece.Para o revendedor, esta também me parece ser a marca menos benéfica, pois além de ter um valor mínimo de encomenda exagerado, as margens de lucro ou mesmo as promoções exclusivas para revendedores são inferiores às das outras duas marcas. Mas foi mesmo o valor mínimo que nos impingem em cada encomenda que me levou a desistir de vender esta marca.

 

Oriflame foi a marca que se seguiu. Das 3 esta é a mais requintada, com produtos mais elegantes e esteticamente agradáveis. Tem excelentes produtos, dos naturais aos comuns, maquilhagem de boa qualidade e bons perfumes. Tem frascos de perfumes lindíssimos que chegam a dar pena de deitar fora depois do perfume terminar. Na oriflame há uma imensa variedade de preços, dos mais acessíveis aos mais exagerados, sendo que os mais exagerados são os mais predominantes nesta marca. A Oriflame gosta de mimar os seus revendedores, e é muito comum virem brindes nas encomendas. 

 

Avon foi a última a ser experimentada. Na altura que passei a vender Avon, escolhi esta marca pelo facto de ser a única das 3 que não cobrava portes de envio. Mas entretanto isso mudou, as revendedoras Avon foram divididas em "Mundos" conforme os patamares de vendas que consigam alcançar. Esses mundos é que denominam a quantidade da percentagem de lucro, os portes cobrados, entre outros. Isso afastou-me um pouco desta marca. Na minha opinião, a Avon é das 3 a que tem mais variedade de produtos, preços razoáveis, uma linha estética simpática. Para as revededoras é sem dúvida a que melhores promoções realiza, no catálogo só de revendedoras há sempre promoções explêndidas. 

 

Além destas 3. há mais marcas por onde escolher. O mais importante é analisar os produtos de cada uma e ver quais os que terão maior chance de ser vendidos no seu grupo de amigos. Nos tempos que correm o preço também é um factor muito importante, tal como valores de portes, valores mínimos de encomendas (sem valor mínimo é preferencial, pois mesmo encomendas de pouco valor podem ser feitas).

A escolha é de cada uma de nós 💋

  • 1 comentário

    Comentar post