Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ups, I have a home to care

Diz que é quase Natal

E sem que nos desse-mos conta o Natal está aí. Não sei se foi só comigo, se o sentimento é geral, mas a sensação é que 2015 está a passar a toda a velocidade, ainda à dias festejavamos o Natal de 2014 e olha... é Natal outra vez.

Cá em casa adoramos verdadeiramente o Natal. Vivemos em pleno o espírito natalício, adoramos as decorações natalícias, as cores, os brilhos, o cheiro da canela que polvilha os sonhos acabados de fazer. Numa casa com crianças, é impossível resistir ao espírito natalício, numa casa onde os adultos se deixam dominar pelos sonhos e pela magia da infância, muito mais. 

No fim de semana que passou já decoramos a casa. Repito, a casa. Não decoramos apenas a árvore num catito lá da sala. Gosto tanto das decorações de Natal, que há Natal um pouco por toda a casa, acho que só o WC escapa ao espírito. 

Deixo-vos um cheirinho das decorações que temos por cá. 

Pai Natal na porta de entrada

12310483_506982412813623_3482067350861746792_n.jpg

 

A nossa árvore de Natal alegre e florida

12278791_506982546146943_8358080926403615968_n.jpg

 

Arranjo de flores artificiais, feito por mim.

12291944_506982536146944_5696016857105780935_o.jpg

 

Uma das botas na lareira (há uma de cada lado), e o enfeite sob a lareira

12304122_506982449480286_3991668340326801614_o.jpg

 

Nem Pimpão, a tartaruga, resiste ao espírito natalício, e colocou uma botinha de Natal

12304208_506982486146949_4599316144496886590_o.jpg

 A isto se juntam o pai Natal pendurado na varanda, umas decorações mais pequenas nos quartos, entre outros.

 

E vocês, também gostam desta quadra especial? Também usam e abusam, dentro do aceitável, das decorações? Já começaram os preparativos para o Natal? Contem-me tudo 

 

 

Pão com chouriço

12239353_504268889751642_2180943530548598583_o.jpg

 

 

À quase uma semana que me andavam a pedir uns pães com chouriço para o lanche. Adiei, porque na minha última tentativa, os pães ficaram bons na hora, mas depois de arrefecerem pareciam pedras. Mas após tanta insistencia decidi arriscar novamente.

Vi no blog Narwen's Cuisine uma receita de pão com chouriço que me pareceu simples, prática e ainda com a promessa de uns pães saborosos e fofos. decidi arriscar com esta receita. Ficaram uma MA-RA-VI-LHA. Deliciosos! Muito fofos, mesmo depois de arrefecerem. Aprovadíssima esta receita.

 

"

2.5 chávenas de farinha
1 colher de sobremesa de fermento em pó
1 chávena de leite
2 colheres de sopa de margarina
sal fino q.b.
rodelas de chourição q.b.
 
 
Num recipiente largo junte todos os ingredientes e amasse bem durante uns minutos. Depois polvilhe uma superfície lisa com farinha e estenda a massa com a ajuda de um rolo da massa, tape com um pano e aguarde 10 minutos (após este tempo a massa estará um pouco mais rija e facilmente conseguirá usa-la). 
Após este tempo corte a massa em rectângulos, e, sobre eles, coloque as rodelas de chourição. Enrole a massa no sentido do comprimento e disponha os pãezinhos, com algum espaço entre si, num tabuleiro untado de margarina e polvilhado de farinha.  Leve a forno médio até estarem cozinhados."
 
Experimentem!
 
Como indiquei acima, a receita foi retirada do blog Narwen's Cuisine.
 

Bolo Chiffon

12273582_504268863084978_7468813124403901401_o.jpg

Prometido é devido, eis a receita do bolo chiffon que preparei no fim de semana. Este bolo é divinal, muito fofo e saboroso.

 

Ingredientes para a massa:

400gr. de açúcar;

300gr. de farinha;

70gr. de chocolate em pó;

6 ovos grandes;

1,5dl. de água morna;

1,5dl. de óleo;

1 colher de chá de fermento;

1 colher de chá de açúcar baunilhado (ou 2 gotinhas de essência de baunilha).

 

Ingredientes para o recheio/cobertura:

200gr. de manteiga para culinária;

4 colheres de sopa de chocolate em pó;

7 colheres de sopa de açúcar em pó.

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Dissolva o chocolate em pó com a água morna.

Numa taça, coloque o açúcar e as gemas e mexa bem. Aos poucos, acrescente a farinha, sem deixar de mexer. A este preparado, acrescenta-se o chocolate em pó dissolvido, bem como o óleo. Mistura-se tudo muito bem e adiciona-se o fermento e a baunilha.

Num outro recipiente, batem-se as claras em castelo, que depois de bem batidas se vão envolver no preparado anterior.

Unta-se uma forma, sem buraco, com manteiga e polvilha-se com farinha. Verte-se a massa nela e vai ao forno cerca de 35-40 minutos.

Preparação do creme:

A manteiga deve estar amolecida, e a ela junta-se o açúcar em pó e o chocolate, e bate-se muito bem.

 

Depois de cozido o bolo, deve-se deixar arrefecer.

Corta-se ao meio, na horizontal, e recheia-se com uma porção do creme preparado. Coloca-se a outra metado do bol em cima, e cobre-se com o restante creme. 

Decorar a gosto (ou devorá-lo logo).

 

Um domingo muito produtivo

Para contrastar com a preguiça e a moleza que se instalou por cá no sábado, o domingo foi o mais produtivo possível. 

Cedo começa o dia, cedo abrimos as janelas para deixar o sol invadir cada canto e recanto. E talvez foram esses raios de sol que nos carregaram as baterias.

Depois de um almoço preparado a três, e de uma caminhada  acompanhada de conversa agradável, voltamos à cozinha, desta vez já só mãe e filha (o pai esquiva-se sempre).

Como já é hábito aos domingos preparamos as bolachas para a semana que vai começar, que todos os dias seguem na lanhceira de miúdos e graúdos. Preparamos um delicioso bolo chiffon para aquela hora em que nos apetecer um docinho e ainda houve tempo e energia para preparar uns deliciosos e fofos pães com chouriço, para confortarmos a barriguinha depois de todo aquele trabalho. Ah, e a pequena ainda quis fazer um pacotinho de pudim para o pai comer de sobremesa.

A princesa I era toda ela farinha depois de todas estas delícias preparadas. Um cheirinho delicioso invadiu a casa e... o cansaço também. Depois disto tudo, já só houve energia para uma reconfortante canja (em que só a massa não era caseira, nham nham). 

E o vosso fim de semana, foi igualmente enérgico ou nem por isso?

Ficam algumas fotos do que preparamos. Não são muitas, podia ter tirado um monte delas, mas estava mais focada em aproveitar a 100% o meu domingo em família 

 

12273582_504268863084978_7468813124403901401_o.jpg

 Bolo Chiffon

 

12239353_504268889751642_2180943530548598583_o.jpg

Pão com Chouriço, fofo

 

12239387_504268933084971_2560603754320619478_o.jpg

Bolachas de cacau, com pepitas de chocolate 

 

Prometo dar-vos as receitas de todas estas delícias :D

Lanches da escola #3 - Dedos de Bruxa

As bolachas desta semana são ainda em modo Halloween. Esta semana fizemos uns terríveis (mas deliciosos) dedos de bruxa.

 

Ingredientes:

-3 ovos;

-150gr. de manteiga;

-50gr. de açúcar;

-300gr. de farinha;

-1 colher de chá de açúcar baunilhado - pode ser substituído por umas gotinhas de essência de baunilha;

-amêndoa laminada 1.b.;

-doce de morango, ou outro de cor vermelha.

 

Começa-se por amassar todos os ingredientes destinados à massa das bolachas - os ovos, a manteiga (amolecida), os açúcares e a farinha. Depois de bam amssado, e de a massa se desprender dos dedos, molda-se na forma de dedos. Fazem-se 2 cortes para dar o aspecto das dobras dos dedos. Pincela-se a ponta com a compota, para dar o aspecto de sangue (este passo não fiz), e colocam-se as amênodas laminadas na ponta, para fazerem de unha.

Coloca-se num tabuleiro forrado com papel vegetal e vai ao forno, a cerca de 180ºC, uns 15 minutos.

E está pronto a ser devorado este lanche aterrador.

 

SAM_1055.JPG

 

Já vais ver o que é bom para a tosse...

no sentido literal da frase :)

Cá por casa pai e filha andam numa sinfonia de atchins e cafuns a toda a hora. Eu tenho-me esquivado disso, mas não sei se isso durará muito... hoje a garganta já começa a arranhar.

Há que cortar o mal pela raíz. 

Temos um hábito saudável em que só tomamos medicamentos em casos de necessidade mesmo. Não somos de tomar logo um analgésico porque a cabeça doi (se assim fosse eu própria deveria manter um laboratório de analgésicos). Primeiro recorremos aos métodos convencionais, às mezinhas que todos conhecemos. 

Por isso, primeiro recurso para as gripes deste Outono: Xarope de cenoura. É bom, faz bem! E é das coisas mais fáceis de fazer. Ainda assim, deixo a explicação como fazer:

 

- 2 cenouras médias;

- 3 colheres de sopa de açúcar mascavado;

- 1 colher de chá de mel;

- sumo de meio limão.

 

As cenouras cortam-se em rodelas para uma tacinha ou caixa hermética. Cobre-se com o açúcar. Junat-se o mel e o limão.

Mistura-se e deixa-se repousar até que o açúcar desapareça.

 

O mel e o limão podem ou não ser adicionados, conforme o vosso gosto. Eles intensificam a eficácia do xarope. No nosso cá de casa nunca coloco mel, pois eu não consigo comer.

Por dia podem-se tomar 3 a 4 colheres deste xarope. 

20150926_213942.jpg

 

Organização de bijuteria - brincos

Uns são pequeninos, outros grandes, a verdade é que a sua organização pode ser difícil. Às tantas já não sabemos onde anda o par. Deixo-vos a minha dica para organização de brincos. Costumo aproveitar as caixas de canetas, brindes, etc. que têm aquele fundo meio almofadado, espeto os brincos em pares, e quem tiver muitos pode até deixar separados por cores. Fica organizado, não se perdem e é até mais fácil na hora de escolher os que usar.

 

SAM_1955.JPG

 

Reciclar - mais que um dever, uma obrigação!

Cá por casa sempre tive o cuidado de fazer a separação do lixo, mas confesso, nem sempre o fazia com todo o rigor, volta e meia algum pacotito supostamente reciclável ia parar ao balde do lixo indiferenciado. Mas desde que a minha filha nasceu, esse cuidado passou a minucioso. Não há pacotinho que possa ter uma segunda vida, que não siga esse destino. Primeiro, porque eu mesma quero passar um bom exemplo à minha filha e porque é de pequenino que se torce o pepino, estes hábitos devem ser incutidos desde cedo. Depois, porque ela mesma, que cresceu com estes hábitos, está sempre atenta e mal eu falho ela chama-me logo à atenção.

E aí por casa, costumam fazer a separação do lixo?

Ao princípio confesso que andar a colocar sacos reutilizáveis, de supermercado, para fazer a separação me desmotivava. Além do que 3 sacos desses no chão da cozinha nem ficavam bem. Até que consegui estes sacos junto da Sociedade Ponto Verde e, apartir daí, não houve mais desculpa.

 

SAM_1891.JPG

 

Cabrito em forno de lenha

Uma das vantagens de morar numa zona rural, não são só os passarinhos e os campos enormes, não é o cheiro a caca de ovelha pelas ruas , não é só o sair da porta e ter uma horta ali logo ao lado. Há os velhinhos fornos de pedra, onde já os nossos bisavós coziam o pão. E verdade seja dita, não há comida como a cozida nos fornos de lenha. 

Deixo-vos uma receita, tradicional, daquelas que é só mesmo para quem gosta. Confesso, eu não gosto de comer cabrito, mas quem o provou aprovou.

Desta vez não tirei medidas aos ingredientes que usei, portanto vou só especificar os ingredientes necessários. As medidas fcarão ao vosso gosto, até porque nos assados a minha opinião é que as medidas variam de gosto para gosto, há quem goste de paladares mais apurados outros não.

 

Eu comecei por colocar, na véspera, a carne a marinar em vinho branco caseiro, bastante alho picado, alecrim, colorau, uma folhinha de louro, um fio de azeite. O cabrito tem de ser muito bem limpo, retirar bem as gorduras em excesso para não dar um travo enjoativo.

No dia seguinte coloquei numa assadeira, o cabrito e a marinada, e coloquei um pouco de sal marinho. Levei ao forno de lenha bem quente. De vez em quando fui regando com o molho da marinada e vinho branco, para não ficar seco, mas manter uma textura estaladiça.

Acompanha com batata assada e arroz.

11752444_975548329154790_7430335492173817057_n.jpg

 

Pós-férias!, e um desabafo

Esta semana passou a correr. Foi uma semaninha de férias e de praia que passou a voar. Voou rápido, mas saboreei e aproveitei cada minutinho.

Uma semana com direito a muita praia, muito descanso, a sol, mar e brincadeiras. Tudo o que é bom passa depressa, agora é esperar por algum dia perdido de ida à pra no resto do Verão.

Tenho ainda de partilhar algo que me revolta imenso nas nossas praias. Ora, eu estive de férias com a minha família e ainda com um casal de amigos que tem um cão. O simples facto de haver um cão obrigava-nos a ir para praias não vigiadas. Eu tenho uma filha pequena e óbvio, a minha preferência era ir para uma praia vigiada, mas não é permitida a permanência de cães nos areais vigiados. Oi?? Os cãezinhos fazem mal a alguém? Se vão acompanhados dos seus donos, se são animais calmos e sociáveis, animais vacinados, onde está o mal? Se fazem as suas necessidades os donos têm a obrigação de limpar, e essa obrigação era sempre cumprida. Quantos meninos e meninas (não quero pensar na hipótese de haver adultos a fazer o mesmo), não abrem buraquinhos na areia para deixarem os seus xixizinhos e cocozinhos? E nem a capacidade de limpar têm... um pouco de areia por cima e ninguém vê. Infelizmente, há animais com muito mais higiene que muita gente que por aí anda. E é assim que somos obrigados a colocar em causa a nossa segurança para podermos estar todos juntos na praia. 

Um desabafo apenas, de uma mãe, mulher, dona de casa que acaba de se ver rodeada de malas para desfazer.