Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ups, I have a home to care

Dia da mãe

Esta semana estive um pouco mais ausente. Sinto-me cansada, farta de me sentir uma peça de mobília cá de casa. Cansada de não me sentir útil, de não contribuir monetáriamente... Melhores dias virão, acredito que sim. Têm de vir!

Mas tristezas à parte, hoje é um dia a comemorar. Hoje é o dia da mãe. Felizes os que têm as suas mães ainda consigo, espero poder ter essa felicidade por muitos e muitos anos. Mãe não é apenas quem pare mas sim quem cuida, quem se preocupa, quem nos dá colo e mimo, mãe é quem nos dá raspanetes, mãe é quem nos vem ajeitar os cobertores depois de estarmos a dormir. Eu tenho a sorte imensa de ter uma mãe que, lutou muito para criar os filhos, mas que nunca baixou os braços. Ela nunca baixa. Tenho a sorte de ter uma mãe que, mais que uma mãe, é uma amiga, parceira, comepanheira, confidente.

Talvez eu não lhe diga as vezes suficientes de que goste dela, talvez já não lhe diga isso à muito tempo. Todos os dias ouço a minha filha dizer que me adora e não sei como seria um dia meu sem ouvir essa frase. Falho como filha, admito.

Talvez eu lhe devesse dar mais abraços, aproveitar mais o seu abraço, o seu colo, o seu ombro, e não fazê-lo apenas em dias como o de hoje. Todos os dias a minha filha me enche de beijos, todos os dias me dá um abraço tão mas tão apertado que me enche o coração. Definitivamente, não sou a melhor filha do mundo... mas tenho a melhor mãe do mundo. Eu tento ser a melhor mãe do mundo também, mas também sinto que falho muito nesse papel, sentimos sempre isso!

Hoje será um dia especial. Ao escrever este post, conforme as palavras me iam saindo, dei-me conta do quanto estou a falhar como filha. Hoje, a partir de hoje, vou tornar-me uma filha melhor.

Bom dia da mãe a todas as mães